Fim do ano - tempo de olhar para trás e para a frente
28 Dezembro 2023
Uma oportunidade para aprender a refletir

“Só há uma forma de comer um elefante – uma dentada de cada vez” – Desmond Tutu

 

Estamos no final do ano e já em contagem decrescente para 2024, altura em que a maioria das pessoas faz a sua lista de resoluções para o próximo ano e, por vezes, estas listas parecem autênticos elefantes, enormes e que implicam grandes mudanças, gerando alguma ansiedade e stress. As pessoas querem que tudo aconteça de uma vez, da noite para o dia, ou seja, querem (ou pensam que têm de) comer o elefante todo de uma só vez.

Este é um dos principais motivos para que, segundo os estudos, cerca de 80% das resoluções de fim de ano falhem logo no mês de fevereiro e apenas 8% se mantêm ao longo do ano. Não há verdadeira mudança de comportamento, se não houver consciência do que temos efetivamente de mudar e de porque é que queremos fazê-lo. Mais uma vez, o papel da autoconsciência é fundamental para essa alteração de padrão de comportamento e depois a capacidade de autorregulação torna-se a chave para a manutenção e perseverança perante os desafios.

Também já deve ter reparado que as listas de resoluções são quase sempre as mesmas, ano após ano…  queremos fazer mais exercício físico, ter mais tempo para ler, para estar com a  família e amigos, fazer uma alimentação mais equilibrada, aprender a meditar, ser mais sustentável, reduzir despesas… mas os resultados são exatamente os mesmos, ano após ano.


Um novo ano representa um novo começo e com ele, um desejo maior de mudança e melhoria, mas mais do que fazer uma lista infindável de resoluções, é importante permitir-se parar e refletir sobre como correu o ano que agora termina, o que correu bem, o que superou as expetativas, o que podia ter corrido melhor… e tomar decisões sobre o que se quer expandir para o próximo ano. Quais são os temas principais que quero expandir e focar no próximo ano e quais os resultados que pretendo alcançar?

Quando conseguimos olhar de forma mais crítica para o que acontece na nossa vida, podemos refletir sobre o e como melhorar, de forma a aumentar a nossa perceção de bem-estar.

Esta reflexão não é indicada apenas para os adultos! Também as crianças e jovens devem ser ensinadas a analisar e a avaliar o ano que termina e o que se segue.

A autoavaliação não deve ser apenas uma tarefa de final de período escolar, em que muitas vezes os alunos nem sequer têm uma perceção realista do que fizeram ao longo do período e esta atividade acaba por ser muito superficial e pouco consciente.

Esta é, assim, uma excelente época para ensinar e treinar competências tão importantes como a autorreflexão e autoanálise, assim como a definição de objetivos e metas realistas, promovendo o autoconhecimento, a perseverança, a tolerância à frustração, o autocontrolo, a resolução de problemas, a capacidade de pedir ajuda, entre outras competências.

Esta etapa é o momento de rever estratégias e ferramentas para melhorar e crescer.

 

Sugestão:

1- analisem as vossas agendas de 2023, a galeria de fotografias dos telemóveis (que muitas vezes estão organizadas por meses/ano) ou as vossas publicações nas redes sociais ao longo deste ano.

2- respondam a perguntas simples de reflexão, como:

O que mais gostei?

O que aprendi?

O que correu bem?

Qual a memória que me faz sorrir?

O que foi mais desafiante para mim?

 

Veja as nossas sugestões – Poster Reflexão de Ano Novo  e Plano de família 2024

Depois de analisar como correu o ano, chega a hora de pensar no que aí vem. Um ano novo, com 365 dias por viver, cheio de oportunidades para agarrar e desafios para superar.

Mas sem esquecer de que “só há uma forma de comer um elefante – uma dentada de cada vez”!

 



O que vou manter, melhorar, começar ou parar de fazer?

Porquê?

Mudar é difícil e, como resultado, diz Terry Bly (Psicólogo, Ellie Mental Health)., “a dor de não mudar tem que ser maior do que a dor de mudar para que possamos realmente… mudar”. No entanto, muitas das nossas resoluções tendem a envolver coisas que achamos que deveríamos fazer. Mas quando nos concentramos no que devemos fazer, não nos focamos no que isso implicará para nós, ou seja, qual a verdadeira razão que nos leva a querer fazer essa mudança.

Se soubermos a razão pela qual assumimos uma determinada resolução, poderemos descobrir que existem outros caminhos para alcançá-la, e que até poderão ser mais agradáveis e satisfatórios para nós e, portanto, facilitarão a manutenção a longo prazo.

Por exemplo: a resolução de ir ao ginásio 3x por semana. Se pensar exatamente no motivo pelo qual eu quero ir ao ginásio posso perceber que quero fazer exercício para ter uma vida mais ativa e mais saudável, e isso pode levar-me a concluir que posso fazer uma caminhada ao ar livre e que esse comportamento irá contribuir para o meu verdadeiro objetivo, e certamente que será mais fácil de manter a longo do prazo do que a meta de ir ao ginásio 3x por semana.

 

Esta capacidade para definir metas alcançáveis e possíveis de gerir, pode ser aprendida.


Deixamos algumas dicas sobre como promover esta capacidade junto das crianças e jovens:

Ensine, apoie, encoraje e ofereça ajuda ao longo do caminho.

É importante ensinar os passos para a definição dos objetivos.

O que é uma meta? Porque é importante definir metas? Que coisas gostariam de melhorar? Quais são as metas para este mês? Como irão alcançar os objetivos?

Definir: decidam o que desejam alcançar. Tudo pode ser um objetivo e é importante que sejam realistas e adequados à criança/jovem, para que sejam concretizáveis e não apenas geradores de frustração e que facilmente os levam a desistir.

Um passo de cada vez: Dividam o objetivo em pequenos passos. Ensinar a “desmontar” os objetivos em pequenos desafios (“pequenas dentadas”), que ajudem a motivar e a continuar.

Estratégias: Quais são alguns dos obstáculos que podem dificultar o objetivo? Como vão superar esses obstáculos? De que ajudas precisam? Analisem: O que esperam que aconteça ao alcançar o objetivo? Quais são algumas das "recompensas" que podem motivar a ultrapassar os obstáculos para realizar cada etapa necessária para alcançar o objetivo?

Estabelecer um prazo: Quanto tempo é necessário para completar o objetivo?

Acompanhar o progresso. Verifiquem os progressos regularmente.

Comemorar os sucessos!

 

Criem um quadro de objetivos para 2024 (vision board) – com recortes de revistas, fotografias, desenhos, frases ou palavras de incentivo, que expressem os desejos, objetivos, metas para o próximo ano. Afixem num local bem visível.

 


Agora é só focar e seguir o caminho rumo às metas definidas!

Um excelente ano 2024 para todos

TEXTO_TAGS
VOLTAR

Junte-se à nossa comunidade e subscreva a newsletter

Copyright © 2021 Universo das Emoções. Todos os direitos reservados. Developed by Laranja Zen.